O Filho Perdido

Lucas 15:11-32

O Filho Perdido

Certo dia um jovem pensa
Que não precisa de seu pai
E com a herança por recompensa
Pra bem distante ele vai

Com seus novos amigos
Seu prazeres satisfaz
Se esquecendo dos perigos
Que o pecado sempre traz

Mas pra sua tristeza
A história segue assim:
Certo dia sua riqueza
Finalmente chega ao fim

Passando por grande fome
Na lama ele se assenta
A angústia lhe consome
E com os porcos se alimenta

Decide então voltar
Implorando por perdão
E seu pai vem lhe abraçar
Com ternura e compaixão

Erros tenho cometido
Mesmo assim estou bem certo
Por mais longe que eu tenha ido
O meu Pai está bem perto

Áureo Vinicius

Anúncios